Vizinhança

É necessário se adaptar

Moradores que trocam de casa para morar em apartamento precisamo passar por um processo de adaptação devido às regras impostas pelo condomínio

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 02/10/2015 11:08 / atualizado em 02/10/2015 11:47
Para Teresa, é necessário bom senso para se adaptar às regras do condomínio - Julio Jacobina/DP/D.A Press Para Teresa, é necessário bom senso para se adaptar às regras do condomínio
Durante 40 anos, Teresa Henriques morou em uma casa com a mãe. Os planos mudaram depois da invasão de ladrões. “Pelo susto e medo de que isso se repita, nos mudamos para um apartamento, onde nos sentimos muito mais seguras, apesar das limitações”, conta a administradora, que trocou a insegurança de casa pelas regras impostas aos condomínios. O motivo que levou Tereza a se mudar é o mesmo de muita gente: a falta de segurança. No entanto, isso exige dos novos moradores uma mudança de hábitos de convivência, em que é precisa se adaptar ao regimento do local.

Segundo o gerente de condomínios da Apsa, Jean Carvalho, é comum haver moradores despreparados para conviver com vizinhos tão próximos. “Por não entenderem que a boa vizinhança ali é regulamentada, alguns podem ser resistentes com essa mudança brusca no dia a dia. Entretanto, poucos sabem que os que causam problemas podem até perder o direito de morar no local”, destaca Carvalho. Ele também diz que os piores casos são levados à Justiça pela lei de condômino antissocial, e a jurisprudência, geralmente, é a favor do condomínio nesses casos.

Para Teresa Henriques, as regras de condomínios são importantes por manter o lugar ordenado e organizado. “Às vezes, as normas são chatas, mas necessárias. Quando eu morava em casa, sempre fazia festas do meu jeito. Hoje, eu tenho algumas limitações, visto que posso incomodar os vizinhos”, destaca. Ela ainda ressalta que o bom senso e a paciência foram fundamentais para a sua adaptação. “Evito ao máximo comprar qualquer briga. Na garagem, por exemplo, é comum estacionarem o carro de maneira que impede que eu posiciono meu. Peço ao porteiro para chamar o dono do carro, que desce, corrige o erro e se desculpa. Não adianta brigar por por pequenas coisas É preciso ter bom senso”, diz Teresa.

Outro problema recorrente é a liberação dos espaços comuns. As administradoras fazem um levantamento de todas as áreas e aprovam um regimento interno para a utilização delas, o que demanda um pouco mais de tempo ou gera embate pela não concordância com as regras. “Muitos não entendem que aqueles espaços são comuns a todos e por isso a utilização deve ser padronizada, agendada ou até paga, devido à sua forma de utilização. Isso pode causar certo choque”, afirma Jean Carvalho.

Segundo Carvalho, para uma boa convivência em condomínio, é necessário estar por dentro de quase tudo que acontece no lugar. Além disso, é importante ler o regulamento do condomínio, participar das reuniões, evitar gritar, buzinar, fazer barulho ou ouvir música alta, entre outros deveres do condômino.

Tags:

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
17 de novembro de 2016
03 de novembro de 2016
27 de outubro de 2016
20 de outubro de 2016