Retrofit

Revitalização de antigos edifícios

Retrofitar um prédio antigo é garantia de conforto e economia. A técnica moderniza e aumenta a vida útil do edifício

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 11/02/2016 11:28 / atualizado em 11/02/2016 15:51
Normalmente, a fachada é mantida e a parte interna totalmente modificada - Marca Engenharia/Divulgação Normalmente, a fachada é mantida e a parte interna totalmente modificada
Quando as construções já não atendem mais as necessidades e os usos para os quais são destinadas, encontra-se na reforma uma solução imediata para aprimorar a edificação e adequá-la às exigências do usuário. No entanto, nem sempre uma simples benfeitoria pode resolver a situação. Foi para solucionar esses casos que surgiu o retrofit, solução que preserva o patrimônio histórico ao mesmo tempo que permite a utilização adequada do imóvel. A técnica é tendência na cidade do Recife e Olinda, duas cidades históricas.

A prática consiste na revitalização e atualização das construções, mas significa também elevar a economia de energia e água nas edificações. Nas obras mais antigas, por exemplo, os sistemas elétrico e hidráulico não foram instalados a partir da perspectiva de eficiência de consumo das construções mais modernas, logo a utilização do retrofit significa uma opção econômica.
 
 
Marca Engenharia/Divulgação

O sentido do retrofit é customizar, "colocar o antigo em boa forma", adaptar e melhorar os equipamentos, o conforto e as possibilidades de uso de um antigo edifício. "Não se trata simplesmente de uma reconstrução, mas revitalizar, aumentando a vida útil do empreendimento. A partir do uso de tecnologias avançadas em sistemas prediais e materiais modernos, é possível compatibilizar o prédio com as restrições urbanas e ocupacionais atuais. Na construção, a arte de retrofitar está aliada ao conceito de preservação da memória e da história", comenta o CEO da construtora Conic, Lucian Fragoso.

De acordo com o coordenador do curso de design de interiores da Faculdade dos Guararapes, Pablo Nogueira, o retrofit é mais um carimbo de reforma. "Trata-se de uma conciliação entre reforma e restauração, em que algumas características originais são mantidas ao mesmo tempo em que o prédio vai se modernizando. Normalmente a fachada é mantida e a parte interna totalmente modificada", explica. O coordenador também diz que, em tempos de crise financeira, a técnica surge como opção de economia. "Derrubar para construir de novo exige um alto custo, mas requalificar um edifício pode sair mais em conta".
 
A técnica também possui fins sustentáveis. A construtora Marca Engenharia seguiu essa linha na elaboração do projeto da concessionária Toyolex da Rui Barbosa, que respeitou a exuberância de um casarão tombado, da década de 1950, no bairro das Graças. No local, a construtora destaca o sistema de reaproveitamento da água para evitar perdas na lavagem dos automóveis. "Incluímos um sistema de reaproveitamento de chuvas e da água, que passou a ser utilizada em lavagens externas, irrigação e também na lavagem dos automóveis, o que reduz drasticamente o gasto diário", explica o diretor da Marca Engenharia, João Eduardo Marinho. A construtora também tocou a reforma do novo edifício-sede da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE) e a recuperação do antigo Hotel Recife, que abrigará uma escola de enfermagem.

Tags: luxo

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
13 de fevereiro de 2017
02 de fevereiro de 2017
19 de janeiro de 2017
06 de janeiro de 2017
15 de dezembro de 2016