Mercado imobiliário

Quando o imóvel antigo é uma opção

Apartamentos mais velhos são maiores e mais em conta, mas necessitam de análise antes de assinar o contrato para evitar possíveis dores de cabeça

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Antigos podem ser um ótimo negócio se estiverem com tudo em ordem - Júlio Jacobina/DP Antigos podem ser um ótimo negócio se estiverem com tudo em ordem
Após o lançamento do filme pernambucano Aquarius, nome fictício do edifício Oceania, um residencial antigo na beira-mar de Boa Viagem, a discussão sobre a especulação imobiliária no estado ganhou mais fôlego. Se há um público cada vez mais interessado em empreendimentos novos e luxuosos, também há quem prefira morar em um imóvel mais antigo. E os motivos são desde o preço mais acessível, a localização e os espaços maiores, mas também pelo perfil mais vintage do morador.

No entanto, se está pensando em comprar uma casa ou apartamento usado, procure observar alguns cuidados e procedimentos básicos – que se tornam fundamentais nesta modalidade de aquisição.

O presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis de Pernambuco (Sindimóveis/ PE), Paulo Santos, aconselha que é bom levar especialistas de confiança para avaliar as condições do imóvel antes da compra. “Um dos erros é não fazer uma vistoria completa e descobrir que o imóvel tem uma série de problemas estruturais depois. Às vezes, os gastos com a reforma serão maiores do que a capacidade de pagamento do comprador”, avalia Santos.

Os fatores metragem e preço baixo levaram a advogada Renata Bastos, 28 anos, a comprar um imóvel de três décadas com 83 m2, na Avenida Conselheiro Aguiar. “Queria um apartamento grande, mas com um preço acessível. O prédio fica próximo à praia e atende às nossas necessidades. Um imóvel novo e de mesmo tamanho é muito mais caro. Completamente inviável”. A moradora lembra que não fez vistoria antes de assinar o contrato. “O negócio era tão bom e qualquer probleminha que aparecesse seria besteira. Então não foi preciso contar com isso”, explica.

Ao contrário de Renata, a administradora de empresas Natália Gonçalves, 42, está sendo bem criteriosa enquanto procura um apartamento usado para morar. “Olho se não tem rachaduras nas paredes, se a estrutura está boa, o tempo de construção e também tenho uma imobiliária de confiança para me ajudar”, afirma ela, que há seis meses busca uma nova morada.

Para o especialista em direito imobiliário, Rafael Accioly, antes de fechar o negócio, é importante analisar a situação do imóvel com relação a débitos e processos judiciais. “É necessário solicitar ao vendedor as certidões, como, por exemplo, ônus reais, certidão negativa, tributos imobiliários e a certidão negativa de ações trabalhistas”, orienta. O advogado também recomenda ler atentamente todo o contrato legal. “O documento deve ser redigido de forma clara e com caracteres legíveis”, recomenda o especialista. Entre os débitos vale checar desde taxas de condomínio e de Bombeiro ao IPTU.
 

Tags: casa,

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
13 de fevereiro de 2017
02 de fevereiro de 2017
19 de janeiro de 2017
06 de janeiro de 2017
15 de dezembro de 2016