Segurança

Sobe e desce sem perigo

Em vigor desde dezembro, lei municipal estabelece parâmetros para a divulgação dos procedimentos de segurança nos elevadores

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 06/03/2015 10:16 / atualizado em 06/03/2015 11:12
O ano de 2015 começou com novas regras para o uso do elevador na cidade do Recife. Foi aprovado na Câmara de Vereadores e sancionado em dezembro pelo prefeito Geraldo Julio o projeto de lei 18.076 que torna obrigatória a fixação de uma placa contendo as principais normas de segurança na parte interna do transporte.

Medidas podem ser adotadas pelo próprio usuário, para evitar desgastes - ANACLARICE ALMEIDA/ DP/ D.A. PRESS Medidas podem ser adotadas pelo próprio usuário, para evitar desgastes
De autoria do vereador Antonio Luiz Neto (PTB), a lei estabelece que a placa deve conter informações como a capacidade máxima que o elevador suporta, que crianças menores de dez anos não podem usar o equipamento desacompanhadas de adultos, a determinação do período de manutenção das máquinas, além de estabelecer os parâmetros para punição das empresas envolvidas em acidentes.

Temas como os levantados pelo projeto retomam o debate sobre a segurança dos elevadores. Apontado como um do meios de transporte mais seguros, o elevador tem um intenso roteiro de ações preventivas que precisam ser levadas em conta. De acordo com Paulo Floro, coordenador de assistência técnica da Hyundai Elevadores Volck, condomínios e empresariais devem fazer a manutenção sistematicamente. “A orientação que a gente faz é de sempre procurar uma empresa responsável e credenciada às entidades”.
Ele diz que é preciso manter uma regularidade na avaliação dos equipamentos. “É necessário analisar mensalmente os principais itens de segurança, como freios, polias e o limitador de velocidade”.

Um dos casos recorrentes é o desnivelamento, em que o elevador passa um pouco da medida do pavimento, causado principalmente pelo desgaste do freio ou a falta de ajuste. Esse tipo de problema, segundo Floro, é mais recorrente em equipamentos antigos, que não apresentam tecnologias atualizadas.

Para evitar acidentes e custos adicionais com o funcionamento do elevador, o especialista sugere algumas medidas que podem ser adotadas pelo próprio usuário, como não apertar botões aleatoriamente. “Apertar todos os botões provoca um percurso mais longo e gera um custo de energia mais alto”. Além disso, ele recomenda evitar brincadeiras e movimentos bruscos dentro do elevador. Algumas máquinas já contam com equipamentos que alertam quando a capacidade máxima é extrapolada, mas ele adverte: “É sempre interessante usar o bom senso e ficar atento ao limite estabelecido pelas regras”, concluiu.

Tags: construção

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
17 de novembro de 2016
03 de novembro de 2016
27 de outubro de 2016
20 de outubro de 2016