Bairros em 2014

Zona Norte em alta no mercado

Bairros na região devem ser os mais disputados para os lançamentos das construtoras em 2014

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 26/12/2013 10:29 / atualizado em 26/12/2013 11:15

A expectativa de crescimento imobiliário está na Zona Norte do Recife. Rosarinho, Madalena, Arruda, Macaxeira são alguns bairros que surgem entre as especulações de construção de futuros empreendimentos em 2014. Também há espaço para áreas como Santo Amaro, no Centro. Porém, especialistas afirmam que quem vai ditar o ritmo e os lugares é a população que busca cada vez mais a praticidade e comodidade de localização próxima ao comércio e serviços.


Roberto Ramos/DP/D.A PRESS
O vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil de Pernambuco (Sinduscon-PE), José Antônio de Lucas Simón, diz que esses bairros possuem grande oferta de terrenos, mas que a concretização dos projetos só vai acontecer quando ocorrer o desenvolvimento de algumas dessas áreas. Ele explica que a tendência natural das pessoas é optar por locais que ofereçam variedade de serviços e facilidade de mobilidade.
Simón afirma que é a demanda que leva à construção de novos imóveis. O atrativo para a população são os serviços oferecidos no entorno e as condições do trânsito. Ele ressalta que ninguém quer morar em um lugar que não ofereça estabelecimentos comerciais e fique longe do local de trabalho. o vice-presidente do Sinduscon completa que a ideia é desenvolver esses bairros assim como ocorreu com Boa Viagem e Casa Forte, que mesmo com o grande número de empreendimentos ainda são locais de desejo de grande parte da população. Para chamar a atenção do público, ele ressalta que deve haver a criação de novas centralidades.
Além dos bairros do Recife, o vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), André Callou, destaca as cidades da Região Metropolitana, como Jaboatão dos Guararapes. Ele explica que o mercado imobiliário não acompanhou o crescimento do Complexo Industrial e Portuário de Suape e deu apenas neste ano o pontapé inicial da construção de novos empreendimentos. Por isso, em 2014 a região ainda receberá lançamentos imobiliários.
Callou diz que o mercado foi atender Suape no susto, pois tinha um grande número de pessoas pedindo empreendimentos, mas não havia a atenção das construtoras. Ela pontua que este ano, muitas empresas lançaram produtos na região e isso vai se estender para 2014. Callou cita como exemplos a Reserva do Paiva – que atende a um público com nível mais elevado de renda–, Barra de Jangada e Candeias. Ele também destaca algunas cidades metropolitanas, como Paulista, Igarassu e Abreu e Lima.

Opção pela RMR e interior

 

Além dos bairros da Zona Norte, cidades da Região Metropolitana e do Agreste, têm sido alvo para moradia. A maioria delas surge como alternativa à construção civil por conta de grandes empreendimentos: Goiana, por conta da construção da fábrica da Fiat e Vitória de Santo Antão, com a recente inauguração do Vitória Park Shopping. Caruaru, Gravatá e Glória de Goitá também experimentam a atenção do mercado imobiliário.

Simón afirma que laçamentos vão depender do fluxo da demanda - Blenda Souto Maior/DP/D.A PRESS Simón afirma que laçamentos vão depender do fluxo da demanda
O vice-presidente do Sinduscon-PE, José Antônio de Lucas Simón, destaca que o crescimento imobiliário destas cidades é consequência do fator econômico e de projetos de mobilidade que estão chegando às regiões. Simón explica que as pessoas estão de olho na oferta de trabalho dessas cidades. Hoje, elas oferecem um certo número de vagas para a construção das indústrias. Amanhã, com a operação serão garantidos o triplo de ofertas.

O vice-presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Pernambuco (Ademi-PE), André Callou, ressalta que a ida para as cidades interioranas vai depender da facilidade na mobilidade. Ele alerta para a importância da construção do Arco Metropolitano, rodovia de 77 quilômetros que vai ligar a BR-101 Norte e Sul (entre Suape e Goiana) passando por fora do Recife, como forte fator de atração de pessoas interessadas em moradias nesses municípios. Callou afirma que é uma obra que é necessária não só para a Fiat e que o Arco Metropolitano vai ser uma fronteira a ser atingida ao abrir espaço para a ligação com a região de Suape, Paiva, Goiana e Igarassu, por exemplo. Além de atender também cidades como Vitória, Moreno, Camaragibe. Ele ressalta que o morador dessas cidades poderá trabalhar no Recife com a facilidade de locomoção. 

Tags: sustentabilidade

Anúncios do Lugar Certo

Últimas notícias

ver todas
02 de junho de 2017
12 de maio de 2017
13 de fevereiro de 2017
02 de fevereiro de 2017